Caruru – Planta

Presente em quase todas as regiões do Brasil, o caruru é uma planta silvestre e comestível que cresce cerca de 80 cm. De grande valor nutritivo, a planta é, em muitos lugares, considerada um mato, uma praga que para nada serve. Conhecido popularmente como bredo, a planta é de uso comum na região da Bahia, onde é usada para diversas receitas e, inclusive, um dos pratos típicos do estado recebe o nome Caruru. Rico em ferro, potássio, cálcio e vitaminas A, B1, B2 e C, todas as suas partes podem ser consumidas.

“Caruru” é originário do termo africano kalalu. “Bredo” é originário do termo grego blíton através do termo latino blitu.

Planta nativa das Américas, foi a primeira vez conhecido pelos europeus através dos Maias no México. Na cultura brasileira, estudiosos acreditam que foi culturalmente introduzido pelos africanos. Teriam sido combinadas as culinárias do Daomé nagô, da Nigéria ioruba e da Bahia. Cita-se o caso do caruru de origem indígena, preparado com bredo, outra planta do gênero Amaranthus e que, levado para a África incorporou o quiabo, planta africana, tendo, então, o caruru retornado modificado, para o Brasil.

Atualmente, é considerado erva daninha em plantações por ser incrivelmente espontâneo e adaptado às condições climáticas brasileiras. É um ótimo indicador de qualidade do solo. Se for comparado com outras plantas indicadoras, ele indica terra boa, rica em potássio (K – além de 7% da CTC): milhã pode indicar terra desgastada e tiririca indica terra desestruturada e ácida.

Todas as partes do caruru são comestíveis. É um alimento rico em ferro, potássio, cálcio e vitaminas A, B1, B2 e C. Tendo funções medicinais como lactígeno, combate também infecções, problemas hepáticos, hidropsia e catarro da bexiga. As sementes podem ser ingeridas torradas ou em pães e outras receitas.

Seu uso medicinal

Além de suas muitas propriedades nutricionais, o caruru também pode ser usado como uma erva medicinal. Eficaz no tratamento de infecções, problemas hepáticos, catarro da bexiga, afecções do fígado e hidropsia, é ainda um excelente lactígeno, aumentando a produção de leite pelas glândulas mamárias, tornando seu consumo muito benéfico para mulheres grávidas, ou em fase de amamentação. Além disso, a planta é, devido ao alto nível de cálcio, muito útil na formação dos ossos e dentes.

Compartilhe...Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Share on LinkedIn

Comentários no Facebook

Newsletter

Fique por dentro das nossas Novidades, assine nossa Nesletter!

O RP agradece, em breve você receberá nossas novidades.